quarta-feira, julho 04, 2007

Legalize it...

Esta semana fiquei eufórica quando recebi minha erva.....
Calma, não é um post de apologia às drogas, nem sou daquelas que têm plantação escondida em casa. Sou filha de gaúcha, e a única erva que me deixa eufórica é a de chimarrão!
E com certeza a erva mate é, aqui em São Paulo, mais difícil de achar que a própria prima ilegal. Principalmente da boa...
De vez em quando encontro uma ou outra marca em mercados, mas como é de pouca saída, está velha e sem cor. Gaúcho que é gaúcho sabe que se o verde virou quase cinza, a erva já era!

Meu estoque geralmente vem da padaria da minha tia lá no sul. Mas como sou consumidora diária, ela logo acaba.
Agora achei um lugar que vende erva de primeira! Como não é lá muito mão para mim, (é no centro da mini-metrópole aqui perto) achei um intermediário eficaz, que também é viciado na verdinha e me trouxe cinco pacotes... A sensação de abrir o saquinho e cheirar aquela erva verdinha, novinha, é indescritível...

Mas o mais interessante mesmo, é observar as rodas de chimarrão fora de seu habitat natural. Roda de chimarrão com paulista não é roda de chimarrão! Desculpem, mas não é! (ontem meu desavisado marido, que está sendo iniciado na arte de ser gaúcho, ofereceu a cuia para outra pessoa antes de mim e quase dormiu no sofá!!!)

Eu já contei aqui, em outro post, sobre minha primeira roda de chimarrão na família! É uma aceitação do grupo, um momento de iniciação! As crianças não tomam chimarrão! Tomam o mate de leite! Minha tia Terezinha fazia em uma cuia menorzinha, e ao invés de água, era leite com açúcar queimado, canela e cravo! Maravilhoso. Mas à medida que eu crescia, queria entrar na roda adulta, deixar minha irmã e meus primos mais novos na roda do mate de leite e ser tratada como a adulta que eu achava que era na roda do meu tio! Quando me primo Alan, mais velho que eu, foi pro chimarrão, então... Fervi!

Logo fui aceita, e nunca esqueço deste momento. Meu tio Silon me ofereceu a cuia, e (música da Carruagem de Fogo no fundo) lá fui eu, deixando "as crianças" para trás, com o doce e confortável leitinho, para iniciar-me na arte do amargo e detestável chimarrão! Mas mantive a coragem, torci a cara com o gosto ruim e finquei o pé! Imagine, que eu ia voltar para o leite, deixar meu primo ali, triunfante, adulto...

Viciei! Hoje tenho crises de ansiedade se vejo o estoque de erva acabar!

Mas como dizia, roda de chimarrão tem algumas regras, que precisam ser explicadas.

1- O chimarrão roda, portanto, não largue a cuia na sua vez para bater papo com o vizinho. Se for na minha família vai ouvir um irônico "A véia morreu com a cuia????". Dê continuidade, o seguinte estará atento à sua velocidade...

2- Nunca, sob hipótese alguma, mexa na bomba!!!!!!! Um amigo querido ultrajou a bomba na minha frente de tal forma que eu precisei ir ao banheiro para respirar! Bomba não é palitinho de caipirinha, Roma, não precisa mexer nem socar a erva! Se entupiu, de uma leve virada rotatória e tudo fica bem! Uma vez vi um gaúcho colocar um prego na erva. Prego?
"Sim, tu mexe no prego mas não mexe na bomba!"

3- Termine sua cuia! É uma tremenda falta de educação passar a cuia com água ainda! A cuia tem que chiar, fazer aquele barulhinho de copo de sundae no último gole. Está amargo? Não gostou? Seja macho e aguente o tranco, entrou na roda é pra se molhar!! Novamente seu vizinho estará atento ao chiado! É a deixa para o seguinte!

4- Quem ofereceu o chimarrão é quem enche a cuia. É como se fosse um mestre de cerimônia da roda, sempre entregue a ele a cuia. Ele saberá a ordem da roda.

5- Se você tiver a honra de ser o mestre de cerimônia da roda, lembre-se: ao encher a cuia, a água tem que espumar! Aperte a garrafa térmica com força, para ver a erva borbulhando com a água! Se não borbulhar, o mate está lavado. Troque por um novo! Urgente! Antes que os gaúchos comecem a ter convulsões, rápido, corre....

Bom, para iniciantes estas regras são fundamentais. Primos, se lembrarem de mais alguma escrevam nos comments!
E dá licença que minha água está quase fervendo e água de chimarrão não pode ferver, pois queima a erva... E erva, por aqui, é artigo de luxo!

Inté!!

10 comentários:

Anônimo disse...

hahahahaha... fantástico!!!!! É isso mesmo, mas eu, diferentemente de vc, mana, não fiz a menor questão de sair do mate de leite e acho que até demorei bastante.. eu tenho um canal bom de erva.. é um mercadinho aqui do lado da ex casa do papai.. erva de qualidade.. se quiser já sabe.. e quanto às regras, quando é a mamãe que prepara a cuia ainda tenho medo de tocar na bomba..hahahaha....
bj para todos e em especial pra gauchada que eu morro de saudades!!!!AMO VCS!
Caia

Gastón disse...

Calma, tô me habituando com o café ainda. Agora, neguinho que toma chimarrão na praia... benza deus.

Anônimo disse...

Fico honrado em ilustrar este interessante post, com a seguinte lição :"chimarrão não é caipirinha", mas alguns hábitos são difíceis de mudar...heheheh...porém,agora, já profundo conhecedor das regras de todo este saboros ritual, "convido-me" para mais uma roda de chimarrão, quando então faremos a cuia chiar...bjs e parabéns pela agradável redação; passarei a ler os seus posts com frequência.

Anônimo disse...

anônimo, mas nem tanto, o comentário acima foi meu : Roma

Rubina disse...

Tati

Lamento mas não percebi para que serve essa erva. A descrição levou-me a crer que é erva daquela de alucinação...lol...e como sei que não é fico à espera que me explique o que é Chimarrão...lol...Beijo

Cláudia disse...

Tati
meu amigão de adolescencia em Brasilia é gaúcho e tomava chimarrão todos os dias.
Resolveu me iniciar na arte e claro que a primeira coisa que eu fiz foi... mexer a bomba feito palito de caipirinha ah ah ah!
Ele praticamente me matou com o olhar.
Acho um ritual bacana, e concordo com o Gastón só neste ponto que ele levantou: na praia não dá né?
Pq vc não faz uma plantação de erva-mate na sua casa nova?
beijo

Anônimo disse...

Jeca, estou aqui com a matriarca gaúcha e ela pediu para lembrar mais uma regra.. a roda do chimarrao é sempre pela direita.. ah, e ela tb quer saber seu canal de erva... ela falou assim- Ela conta o milagre mas nao o santo.. Isso ainda dá outro post, heingh? Os ditados lapidados na nossa cabeça como-
.Deus tira os dentes mas alarga a guela,
.Vai cachimbá formiga!!!
.Nego bao nao se mistura..
e por aí vai, hahaha
bj, Caia

MH disse...

Eu gosto de chimarrão. Tá, a primeira impressão do gosto é que estou lambendo o pescoço de um cavalo (eu FALEI isso qdo provei), mas você acostuma e aprende a curtir.
Meu ex canadense aprendeu todo o ritual com um uruguaio no navio, comprou o kit completo e vivia revirando Toronto pra achar a erva, nos mercadinhos de imigrantes...

E na primeira vez que fui pra Porto Alegre, fiquei encantada com a gauchada no parque, levando cadeiras de armar, jornal, cuia, garrafa térmica... sabem relaxar muito melhor que os paulistanos!

Anônimo disse...

oi prima!!!
vai mais uma regrinha:
-Jamais encha a cuia até a borda...
-Qdo for tirar a erva da cuia não use a bomba como colher. Aprendi isso com meu pai, sabe né, aqui em casa ou vc aprende ou aprende.
gaucho q é gaucho toma chimarrão demanhão,detarde e denoite. A realidade é q somos loucos por churrasco e chimarrão.Esperamos vc aqui no sul,ha, com a cuia pronta,hihihi.
milhares de bjus... déia

Tati disse...

Caia, nem sabia da sua fonte! A minha é o Berti, instutor de Yôga paranaense! (ele fala que é gaúcho, mas é paranaense, rsrsrs)

Clau e Gasta, praia é um lugar excelente pra chimarrão! Só não levo pois acho complicado levar todos os gears...... Muita coisa, e colocar erva na cuia na praia tb pode ser vexaminoso!

Roma, obrigada pelo elogio, venha sempre sim!

MH, concordo plenamente com vc! Além disso, os gaúchos respeitam a siesta, dormem um pouquinho à tarde, vivem bem melhor que nós paulistanos...

Prima, seu pai é um ícone do chimarrão para mim! A imagem que tenho dele é SEMPRE com a cuia na mão! Aposto que até na época do matadouro ele ia "carnear os bois" com a bomba na boca, hahaha!!!

Beijos a todos!