quinta-feira, julho 26, 2007

Questão de tempo...

Essa semana estava na loja da minha operadora, esperando atendimento... Loja vazia, eu era a próxima, então esperei pouco, coisa de 30 minutos, tops....

Uma moça simpática senta-se ao meu lado e começa a falar... Moça tagarela...

Conta-me a vida, tem um filho liiindo, trabalha ali mesmo, no shopping, estuda Direito... Tem 19 anos.

Bom, as perguntas de sempre a uma menina de 19 anos que tem um filho de 2:

"O pai é envolvido?"

"Não, não é... Mas meu namorado!!! Nossa, ele é como se fosse o pai dele, eu fico suuuper tranquila, sabe, por que ele é óóótimo! Nossa, é o anjo que caiu na nossa vida"

"Ah, que bacana, quantos anos ele tem? Tem filhos também?"

"Não, ele tem 18 anos. Mas olha, tem uuuuma cabeça, iiiimpressionante, nem parace ter só 18 anos..."

(flashback.....)

"Ah, tá... Bacana, né?" (olho a senha, ansiosa pra sair dali...)

"Nossa, nem fale, e eu quero ter uma menininha com ele! Ele seeeeempre fala 'Amor, quando a gente vai ter uma menininha?'"

"Vocês estão há quanto tempo juntos?"

"Dois meses! Mas parece que é uma eternidade!!! (flashback) A gente já era amigo há muuuuuito tempo, faz já um ano que a gente se conhece!"

Ah.....

Flashback......

A senha apita, eu pulo!

Rio por dentro, talvez como minha mãe fazia quando eu dizia, aos 19 anos:

"Meu namorado tem 17, mas tem uma cabeeeeça, maravilhosa!!! A gente VAI casar e ter dois filhos!!!"

Um dia essa mesma menina vai lembrar de suas falas, e rir sozinha, feliz que se passaram anos e ela compreendeu algumas coisas que não era capaz de compreender aos 19. E valorizar o poder do tempo, que no fim das contas, é o grande sábio!!!


Inté!!

PS: Amanhã começo vida nova na roça.... Ficarei algum tempo sem internet, mas tentarei postar ou ao menos responder comentários em outros terminais da vida!


5 comentários:

freemind disse...

Mas isso é mesmo o bom dessas idades, a capacidade de acreditar, de ainda ter aquela ingenuidade de que tudo corre bem e o mundo é de facto belo... é o que mais pena tenho de se perder com o tempo.

MH disse...

Meu pai falava da juventude e sua sensação de permanência... tudo parece que vai durar pra sempre, do amor à dor, à chuva de sábado... tudo! é bom, mas é tão melhor descobrir a impermanência, e aprender aos poucos a lidar com ela...

Rubina disse...

19 anos. Eu não sabia nada quando tinha 19 anos...lol...

Gatta disse...

Ave Maria. Sim, ela vai lembrar, rir e cuidar de um pimpolho de 13 anos. Foda neh.
bjss

Cláudia disse...

Tô com a gatta, espero que ela nao tenha a tal sonhada menininha tão já.
bj