sábado, julho 14, 2007

Autismo Social

Eu não tenho nada contra tecnologia.
Adoro meu celular que toca o tema do Plantão do Jornal Nacional ou a música do Homem Berinjela quando meu marido liga...
Adoro saber que posso ver meu cunhado que mora em Berlim pela web cam e que ele vai me dar um tour pela janela dele para eu matar a saudade da linda cidade alemã...
Amo pegar minhas receitas no site da Ana Maria Braga sem precisar assistir ao programa...
E claro, amo saber que posso correr 15 maratonas sem ouvir uma música repetida sequer, no meu MP3 do tamanho de um toco de lápis...

Mas me choco com o uso que se deu a esse utensílio musical...
Já vivemos em uma Era de comunicação falha, ainda que os meios para tal sejam mais e mais eficazes. O ser humano não se entende... Haja vista a necessidade absurda de advogados, ou seja, eu preciso de um intermediário para me entender com o outro!
Crianças passam a tarde nos msn da vida, e se entendem mil vezes pior que na minha época, quando o grande barato não era "ler" minhas amigas em uma tela, mas fofocar deitadas na cama, comendo Mix Vigor e sanduíches feitos pelas mamis.
E agora os IPods...

No final de semana passado estava na praia, e como venho observando isso há algum tempo, resolvi escrever.
Eu, como paulistana e Jeca, curto praia pelo barulhinho típico do mar, do burburinho das pessoas, do vendedor de picolé Rochina, etc. E claro, o papo com quem está ao lado. Se estiver sozinha, o papo dos outros, que amo escutar...
Mas vejo que isso está acabando. As pessoas andam lindas, de biquínis e sungas da moda, em grupos de amigos enormes... Cada um com seu fonezinho nas orelhas...
Sábado passado tinha um japa dançando sozinho, balançando os braços e rindo pros amigos, como se eles também escutassem seu provável tum tum tum...
Ao lado, uma menina do mesmo grupo, balançava o corpo como se ouvisse uma balada romântica...
Só faltou um headbanger deliciando-se ao som do Sepultura...

Olhando a massa à beira do mar, vejo casais, amigas e amigos caminhando lado a lado, mas dificilmente juntos, já que cada um carrega seu mundo musical nas orelhas...

Imagino as boates do futuro próximo... DJs, comecem desde já a procurar outra profissão, logo mais não serão necessários, garanto.
Cada um entrará com seu MP3, com sua seleção pessoal. Enquanto um ouve techno, outro curte MPB e outro viaja ao som de Mozart. Todas as tribos em um mesmo lugar, cada um na sua, ninguém na de ninguém...
Quem olha de fora, reacionário à revolução individualista, vê loucos movendo-se no silêncio, urrando sons incompreensíveis, alheios à presença do outro...

Inté!!

7 comentários:

Daniel´s disse...

Oi, eu sou o Daniel, amigo da Ju Pacheco, foi ela inclusive que passou seu blog. Muito bom, gostei muito dos textos e esse em especial tem a ver com alguns que escrevo metendo a boca na "raça inteligente" que chamamos de ser humanos dominantes..rs. Gostei tanto que coloquei um link para seu blog lá no meu blog. Alías, sinta-se a vontade para dar um pulo lá:

http://meumundodeideias.blogspot.com

grande abraço

Cláudia disse...

ô, Tati, sabe que eu não tinha reparado nisso ainda? Mas vc tem razão, as pessoas estão cada vez mais centradas em si e portanto, mais egoístas e menos tolerantes.
Eu, como ser mt social que sou e adoro ficar rodeada de gente, acho uma pena.
beijo

td disse...

tati,

passar para dar oi. fiquei escutando meu ipod e não prestei atenção no que voce escreveu, sorry !

beijo

td

td disse...

tati,

passar para dar oi. fiquei escutando meu ipod e não prestei atenção no que voce escreveu, sorry !

beijo

td

Rubina disse...

Tal como tu, Tati, admiro as maravilhas da tecnologia mas assusta-me como, ao mesmo tempo, separa as pessoas. As brincadeiras de verão, no meu tempo, eram muito mais saudáveis. Jogávamos à apanhada, íamos à praia, passávamos dias inteiros na rua até o sol se pôr. Hoje os miúdos andam sozinhos, metidos em casa, na net, no messenger. Enfim, acho muito sério o que se está a passar. Beijos

MH disse...

Também andei reparando nisso (na praia mesmo!), e acho uma grande pena... As pessoas perdem muito com isso, é um desperdício da companhia do outro (ou da observação antropológica "dos outros"). iPod, só no carro, ou ligado na caixinha de som (pra compartilhar), ou no foninho quando estou sozinha! Mil vezes o barulho do mar, o papo dos amigos ou da barraca ao lado...

mc disse...

Tenho a mesma sensação que vc... as pessoas estão tão individualistas que dá aflição!