sábado, março 17, 2007

Música visual...




Certas músicas marcam épocas...
E certos lugares no mundo possuem suas músicas tema. Esta que aqui postei é uma delas.

Na minha cabeça existem duas "Nova Yorks".
Uma eu conheci adulta, uma NY acolhedora, segura, e cheia de novidades a cada esquina. A Big Apple me acolheu por alguns anos de minha vida, e dela tenho muita saudades.
Saudades dos sanduíches com Honey Mustard que comia no PAX, dos iogurtes gregos do Amish, dos pretzels massudos e salgados que comia quando o frio não me deixava ir além da esquina do hotel, das baladas, dos supermercados, e de tantas outras coisas que fizeram parte da minha fase Sex and the City.

À outra, volto quando escuto esta música. Uma NY que não conheci pessoalmente, uma NY dos anos 70 e 80 retratada nos filmes de Sessão da Tarde que via na infância, e sobre a qual a letra do The Boxer fala.
Esses filmes começavam sempre da mesma maneira.
Um carro atravessava alguma das pontes, geralmente a Ponte do Brooklyn enquanto a câmera abria o ângulo até desvelar a cidade toda. Neste instante o letreiro do filme aparecia, em letras psicodélicas amarelas, seguidas de:

Starring Tony Danza

Dentro dele, voavam rebeldes os cabelos compridos de algum policial à paisana.
De óculos Ray Ban, o galã estacionava o carango e víamos a calçada suja e marcada pela violência das décadas, prévias ao programa Tolerância Zero.
Descia, então, e nos mostrava suas calças de cintura baixa, cinto de couro e boca de sino.

E a música diminuia, encerrava, e a história começava.

Mas todas as músicas-tema desta época ficaram na minha cabeça, especialmente esta do Paul Simon. A minha NY antiga ficou gravada como uma cidade meio turva, como as cores dos tais filmes, em que letreiros apareciam do nada e músicas te acompanhavam de acordo com seu papel na cidade...

Duas cidades completamente diferentes... Sons e cores de infância e vivências adultas...

Para ilustrar, a abertura da série Taxi, que tinha o fenomenal Andy Kaufmann. Não é a Ponte do Brooklyn, mas tem até as letras amarelas e o próprio Tony Danza...



Inté!

8 comentários:

Cláudia disse...

Tati, eu até faço parte de uma comunidade no orkut: Minha vida tem trilha sonora.
Sempre associo músicas a lugares, situações, datas...
To acompanhando a novelinha das férias no RJ pra ver o que rola!
beijo

Rubina disse...

Tati

É verdade. Não me esqueço, por exemplo, da música do barco do amor :)

Beijinhos

Anônimo disse...

AAAAAAAAAHHHHHHHHHH, lembra q assistíamos a essa série?? Nem sabíamos quem era Andy Kaufmann.. amava esse programa..
Caia

Anônimo disse...

Aliás, como era o nome dele??

Mônica Montone disse...

Músicas e cheiros me marcam demais!!!!

Adoro Simon!!!

Agora entendo perfeitamente sua angustia primeira ao seu mudar para uma cidade pequenina, rs*

beijos, bonita e boa semana

MM

Mônica Montone disse...

Ahhhhhhhhh, montei um blog pra Carol!!! Entre lá e comente, ela vai adorar :O)

beijocas

MM

ps: endereço está no post do Fina Flor

Pedro disse...

ahhhhhhhhh!!! Adoro esse musica!!! Mas prefiro na voz da Joan Baez! Apesar de ter ouvindo muito Simon und Garfunkel !!! De verdade! Ainda adora! Mas Joan Baez é imbativel!!! E vou tentar ir no show dela aqui, dois classicos ela e uma semana depois, Bob Dylan, acredita?? so resta saber se eu terei euros pra isso!
bjo e muita saudade, Cunha

Tati disse...

aaahhhhh digo eu!!!! Como assim, show da Joan Baez??????????? Quer me matar de inveja??????
Se eu estivesse aí e com poucos euros na carteira, ia pra rua cantar com o chapéu no chão, pra arrecadar! Joan baez é uma chance única!!!!
PS: que bom ver vc aqui, comentando, Cunha!!!
beijosss