terça-feira, março 27, 2007

Jeca´s Rehab



Voltei de São Paulo, na semana passada, com uma triste tarefa:
Guardar minha "fila" de livros...
Sendo "livros" minha única droga, meu grande vício, a "fila" deles é como se fosse meu pequeno estoque para uso pessoal. Enquanto leio um, três ou quatro estão na fila. Se a fila diminui muito chegando a um, por exemplo, tenho crise de ansiedade. Nunca cheguei a zero. Nunca cheguei a falar:

"Preciso ir à livraria, estou sem nada para ler."

Meu criado mudo é uma pilha de livros esperando para serem consumidos.

E agora tive que guardá-los.
Ou melhor, tive que trocá-los...
Eles se foram para o armário, com a promessa de voltarem para consumo em 2008....

Lá se foi o O Caminho de Swann, traduzido pelo Mário Quintana....
Lá se foi O Pai Goriot, do Balzac...
Para estante, Fausto, do Goethe, que eu muito pretensiosamente tentava ler um pouquinho por noite.
Até 2008, coletânea de contos do Primo Levi... Sentirei saudades de suas páginas rosadas me dando bom dia ao acordar...

E que venham os livros teóricos do Mestrado...
Bem-vindo Marxismo e Filosofia da Linguagem, do Bakhtin...
Bem-vindo, Discurso, Texto e Significação...
Acomode-se, A Idéia de Cultura!
Sinta-se em casa, A Violência e o Sagrado...

Só não garanto que não dê uma escapadinha de vez em quando, afinal, vício é vício e ninguém é de ferro...

8 comentários:

Capitão-Mor disse...

Nunca gostei muito de ter livros em fila de espera. Fico com aquela ansiedade de lêr à pressa para devorar o próximo... :)

MH disse...

Ai que delícia ter livros na fila, né?

mas não seja muito rígida, sempre que a cabeça precisar de um refresco, volta na estante, escolhe um dos livros que te esperam...

continuo devorando minha pilha, aos bocados... hmmmmmmmmmmmmmmm!
bjo

nana disse...

Também tenho uma fila de livros!!! A grande vantagem é que em momentos de penúria total, como o que eu estou passando agora, nunca falta o que ler. Se não fosse a fila, crises de abstinência terríveis com direito a tremedeiras e tudo, se abateriam sobre mim!

Maríita disse...

Tati,
Adorei saber que existem mais pessoas como eu no mundo...tenho muitos em fila de espera, neste momento uma pilha mesmo e confesso que comprei um na semana passada, eu não queria, mas teve que ser, passa-se em Lourenço Marques dum escritor português que é magnífico, não sei se já ouviu falar Francisco José Viegas. Se tiver oportunidade leia o "longe de Manaus" fiquei prisioneira dos cenários e dos tempos.

E mesmo com todos os livros que tenho em fila de espera, ainda faltam tantos outros, para já não falar dos que eu ainda nem sei que existem!

Tati disse...

capitão, minha ansiedade é oposta.... sabendo que há um livro à espera fico mais calma....

MH, sem dúvidas, precisando de um shot corro pra estante!

Nana, benvinda aos comments! Fico feliz em ver como a "fila" ajuda tantas pessoas de maneiras diversas!!! É isso aí, e para fases de penúria, vale a máxima: Força na Peruca!!!!

Mariita, não conheço ainda este autor, vou procurar para incorporá-lo à minha fila do armário!

Beijos

Rubina disse...

A minha estratégia é diferente. Compro-os e não leio. Ponho na estante e meses, ou anos, depois vou buscá-los. Eles é que fazem fila e piscam-me o olho, a ver se têm a sorte de ser "lambusados". Também leio sempre dois ou três ao mesmo tempo, dois na cabeçeira e um que vai na mala o dia todo.

Tati também passei por isso, acabei o mestrado o ano passado, e foi um alívio. Durante mais de um ano só lia artigos académicos, e então com a tese foi um Deus nos acuda. Quase chorei de emoção quando pude finalmente escolher, após a tese, o livro que queria ler. Beijos

Tati disse...

rubina, obrigada pelas palavras de apoio.... estou amando essa jornada de Mestrado, mas a cada dia que passa o frio na barriga aumenta....
beijos

Capitão-Mor disse...

Episódio 4 das Férias em Natal no ar! Hoje saiu meio atrasado...