sexta-feira, novembro 24, 2006

Dividindo Poesia III...




Baile de Máscaras

Rostos cobertos por mistério
Percorrem o salão
Em busca da sensualidade dos lábios
E da excitação dos olhares.

O pobre pierrot já não tem lugar
Em meio à loucura da carne.

Ainda assim
Românticos perdidos
Procuram seus pares
Por trás dos adornos.

Querendo distinguir-se
através do brilho de seus olhares,
Misturam-se à perversão, e iniciam sua caça.

Sorrisinhos
Galanteios
Olhares...

Tudo igual!

A colombina confunde o amor...
Termina nos braços de um tal Juan, que se diz Dom
E apaixonado.

O pierrot chora
E sua colombina termina seu baile
Sem tirar a máscara de seu par
Iludida
Amando a loucura
Sem saber.

Vazia
E só.

8 comentários:

tenho dito disse...

Interessante. Sinto m=uma solidão tão grande em todas as poesias que voce escreve.... Isso é reflexo do interioR R ou sempre foi assim ?

PS : Mais uma foto animal...

Tati disse...

a solidão dos meus poemas remontam a uma época passada, em que eu escrevi muito. Esses poemas são do fim dos anos 90, depois meio que parei de escrever versos.... Acho que a solidão passou, perdi material artístico....
que bom que gostou da foto!
bj

tenho dito disse...

AHHH Bom ... agora entendi ! Esses poemas retratam a "velha" jeca... Queria ler uns poemas da nova jeca... bem que eu estava achando estranho ! Isso não é poema de jeca que casa de vermelho !

PS : não gostou do post do quintana - me esforcei bastante naquele...

Ricardo disse...

Belos seus poemas
um tanto triste
mas bonitos!
bzo

Parabéns seu flog é bem interessante e variado

Mônica Montone disse...

Meniiiina, que foto!!!!

Passei aqui para dizer que a Carol tá lá no Miolo, hoje: http://blog-miolo-de-pote.blogspot.com/

com um texto de arrebentar. Passe lá depois, comente! Ela vai gostar.

beijos, querida

MM

ps: quanto ao poema, hum, sei bem como é isso.......

Anônimo disse...

Como uma vez me disse uma amiga num comentário de um de meus posts, pra se fazer um bom samba é preciso um bocado de tristeza.

Seu nome é citado e linkado no começo do meu último post. Espero que renda visitas :0)

Tati disse...

Obrigada, Ricardo, entre sempre, viu? Gastón, o que seria de nós sem esses momentos de fossa profundas, regadas a muito legião Urbana e poesia???
Mo, a Carol arrebenta, de sábado é tarefa prioritária ler o blog dela!
beijos

Anônimo disse...

Sem palavras .. apenas aplausos 👏👏👏👏👏
Bjs Helo