terça-feira, dezembro 12, 2006

Survivor...

Uma das coisas mais interessantes de se conhecer outras culturas é saber como os povos comem. As peculiaridades culinárias podem ser divertidas e assustadoras, dependendo da sensibilidade de seu paladar...

Hoje, fazendo uma sobremesa de Grão de Bico (sim, um pavê de biscoito champange e creme de grão de bico) pensei nas comidas esquisitas que já provei na vida...

Sempre fui draga... minha mãe colocava a comida na frente e quem fizesse manha passava fome.

“Comida boa é a que está na mesa!”

Hoje sou vegetariana e como pouco (especialmente depois da vergonhosa sessão descrita no ALA: Associação dos Livrólatras Anônimos) mas experimento de tudo, sem maiores receios.

Muitos já sabem que maçã só entra na minha boca se for com sal! Vi isso, quando criança, em uma cena da novela Bambolê, e corri pra cozinha, nunca mais parei!

Mas isso foi antes das viagens, antes da fase Vasco da Gama dos ares...

Quando fiz intercâmbio, mais estranho que minha “irmã” germânica, só a sobremesa de iogurte e camarão que eles faziam! E talvez mais estranho que isso, é hoje eu salivar ao pensar naquilo....

Anos mais tarde, fui apresentada ao famoso doce de feijão japonês. Nos metrôs de Tóquio, há inúmeras barraquinhas que vendem tal sobremesa, e parecia muito apetitosa, envolta numa massa de arroz e açúcar. Nossa primeira tentativa foi frustradíssima, eu e minhas companheiras de sol nascente até tiramos foto de tal momento, o doce jogado no fundo do lixo, e nossas caras de desespero por tal heresia! Feijão doce......
Claro, que draga que é draga se acostuma até com pedra, e logo depois já estava eu viciada no bolinho suculento! Ainda hoje, que minha fase Japão já passou, me vejo correndo para a Liberdade atrás do doce, que um dia foi condenado pela inquisição do paladar...!!

Ainda lá, saboreei sorvete de batata doce e de chá verde! O de batata doce, por sinal, era ROXO!!!

De volta ao velho continente, na Espanha, um garçom nos ofereceu a “clara”, mistura de cerveja, suco de limão e AÇÚCAR! Sim, hoje já há no mercado mistura de cerveja e limão, mas aposto minha mão que não vem com açúcar! Olha, acho que foi a bebida mais deliciosa que já tomei, passei a viagem toda só a base de clara, e sempre que posso, mando ver limão e açúcar na Lieber!!!

Quem já foi pra Califórnia conhece o "The Stinking Rose", (a rosa fedorenta) um restaurante em que tudo é a base de alho! Ok, bife com alho, patê de alho, etc... Mas SORVETE DE ALHO???
Tem, e até que é gostoso!

Mas o episódio culinário mais intenso que vivi foi em um restaurante novaiorquino! Fomos jantar com os chefões da empresa, japoneses tradicionais carregados de pompa e cerimônia, até o saquê bater nos portôes do cérebro! À minha frente, o Poderoso Chefão! Conversa vai, saquê vem, o rosto do sansei ficando rosado, e pronto, ele foi com a minha cara! Chamou a garçonete e pediu A iguaria MOR do cardápio, especialmente para eu experimentar!

(a tropa japonesa da mesa faz “oooohhhhh!” e a tropa brasileira faz “viiiiiixxxeeee”)

Dali a pouco estava em meu prato! Ok, ufa, é apenas um ovo! Draga que é draga, sob os olhares ansiosos de todos, manda pra dentro...

Ah, até que não é ruim, é ovo!

Todos felizes, eu aliviada, até que um amigo me esclarece o que era aquilo...
Não era um ovo comum.... Era um ovo que havia ficado MESES enterrado, em terras especiais, tipo a trufa da classe dos ovos, até ficar no ponto de ser considerado uma iguaria!

Traduzindo em língua portuguesa: OVO PODRE!

Como já estava dentro, fiquei à espera das reações adversas, efeitos colaterais que viriam... E vieram, claro! Foi a noite mais mal dormida, sorte que eu morava sozinha e ninguém precisou dividir minha cama.....

Mas sobrevivi, e se precisar encarar outras estamos aí... Só não sei se conseguiria comer polvo vivo, como se come na Coréia, ou o famoso cérebro de macaco, do filme Faces da Morte...

Acho que vou me inscrever pro Survivor, ao menos naquelas provas de comer coisas estranhas eu acho que passava.....

Inté!

10 comentários:

Anônimo disse...

Putz, lembro bem da sua irmã germânica, ela era um cão, não??? e lembro bem de você comendo maçã na escola, mas não lembro do sal, não....
beijo K.

Anônimo disse...

Humm, doce de feijão é tudo de bom, mas ovo podre???? fala sério!!!
ricardo

Anônimo disse...

Vou falar: só como carne de primeira. Por aí já deu pra perceber que olho de cabra não é comigo.

Agora ovo podre... gente que noite heim? benza deus...

blan disse...

Oi, TAtiana,
Não sabia que voce gostava de doce de feijão, quem sempre trabalhou na liberdade adora. quando voltar mandarei toda semana. Bom natal e um feliz ano novo para voces beijos blan

Tati disse...

O pior, gastones, é que nem parecia! Até que era gostoso....

BLAN!!! Benvinda!!! Vou adorar que você mande sim, adooooro doce de feijão!!! Boa viagem, curta a Austrália e boas festas, com sua filhota!!!!! Grande beijo

Cláudia disse...

Tati
aqui em Santo Amaro você pode escolher entre caldo de mocotó, caldo de piranha e o levíssimo caldo de banha de porco.

Tati disse...

valeu, clau, acho que parei com as extravagâncias, hehehe
vou deixar pras provas do survivor...
bj

Vivi.Rosas disse...

muito.bom!!!
Boa.sorte.no.Survivor!rs
bjus

Cris Melo disse...

Morava sozinha!!!! Cachorra!!!! Estou me divertindo horrores com seu BLOG! Beijossssss

Tati disse...

Não!!!! Querida Cris, quis dizer que DORMIA sozinha, minha amada companheira de apartamento era VOCÊ!!!!!!!!!!!!! hahaha!!! beijos e que bom que vc gosta do blog, venha sempre!