quinta-feira, agosto 16, 2007

Roça Olimpycs

Hoje nossas meninas foram jogar basquete nas olimpíadas da cidade. Guerreiras, tremendo de medo, foram lá, encarar o time quase profissional de uma das escolas públicas.
Perderam... Perderam por falta de tempo para treinar, por falta de pessoal e por falta de experiência. Mas fizeram bonito, fizeram algumas cestas e duas ou três até se mostraram com enorme potencial para serem atletas.
Mas o mais interessante é compará-las aos meninos...
Eles jogaram futebol no final do semestre passado, perderam igualmente, mas a testosterona parece que é tomada pela adrenalina do esporte.
Nós, da arquibancada, berrávamos as dicas de sempre (chuta, passa pro Ricardo, olha o grandão sozinho na cara do gol, não fica aí parado, etc) e eles nem sequer viravam a cabeça para nós. Compenetrados. Embebidos... Putos... na verdade, estavam putos por estarem perdendo... As caras de mau que saíram da quadra davam arrepios...

"Parabéns, vocês jogaram bem!"
"Ah, Pro, dá licença, né? Perder por 16 a 1 não é jogar bem!"

Enfim...
As donzelas já estavam às 7 horas da manhã no banheiro da escola arrumando os penteados... Entraram em quadra visivelmente nervosas, mas deram os típicos gritinhos de apoio ao começarem o jogo.
Não brigaram entre si nem com as adversárias, mas com as unhas, quando a bola passava raspando pelos dedos... Com os cabelos, quando caíam no chão e tinham que arrumá-los de novo...
Sua compenetração não estava exatamente focada na bola... Ao fazer a primeira cesta, a mais competitiva do grupo olha para nós, professoras que éramos a torcida, levanta a mão e dá um sorrisinho, do tipo "iêi, consegui, viu???"
Aos nossos gritos de "Aê, Fulana, mandou bem!", "Muito bom, Ciclana!", "Marca, marca Beltrana" elas respondiam com olhares atentos...

Claro, não fomos as únicas da arquibancada que recebemos os tais olhares sorridentes das atletas de verde e laranja... Afinal várias outras escolas estavam ali. Vários outros alunos, de preferência os do Ensino Médio...

Saíram derrotadas, mas não com aquelas caras de pica pau que os meninos esboçaram. Riram,
pediram críticas, viram atentas aos times posteriores para analisá-los.
"Pro, quando tem mais competição?", "A gente podia fazer amistoso com as outras escolas, né?"
"Ah, até que cinco cestas tá bom, né?".

Divertiram-se, o que já valeu a confecção dos unifromes...
E viram seus paqueras, arrumaram os cabelos para eles, mostraram-se atletas, no eterno jogo da conquista macho fêmea...
Quem somos nós para criticar? Eu até por jipeira já me passei... Até quase capotar do alto de um morro enlameado em Santa Catarina.... Aí chega...

Parabéns, meninas, continuem treinando, gostem mais da camisa que vestem e bola pra cima... e pra baixo, dentro da cesta!!!

Inté!!

PS: Não posso deixar de mencionar que as alunas de uma escola da cidade, sabendo que o pai do seu treinador havia falecido no último fim de semana, jogaram todas com uma faixa preta no braço. Linda homenagem, àquele que saiu de uma momento certamente triste para berrar com elas na beira da quadra! Momento Mastercard para ele!!!!

6 comentários:

Carol Piovesana disse...

Perfeito, Tati!
Como sempre vc descreveu perfeitamente a situação!
E tenho certeza que valeu muito a pena... pelo menos para algumas deles!!!
Beijinhos!

mc disse...

Mulheres são mais evoluídas desde cedo! Ai, que comentário feminista... Bom, quem entendeu, entendeu, quem não entendeu que me xingue.

Cláudia disse...

Como dizia a mãe de uma menina do time de volei da Bela, é muita coisa pra elas administrarem: cabelo, franja, dobra da manga da camiseta, se não vai ficar esquisita na hora de pegar a bola... pensando bem, a bola é até demais num contexto desses!

Sobre o tecnico, são profissionais assim que fazem a diferença na vida das crianças.
beijo

Mônica Montone disse...

Lendo essas coisas sinto saudades da época em que trabalhava com crianças, sabia?

beijocas e bom finde,

MM.

Marina disse...

valeu pelos elogios pro... gostei muito... E nós vamos continuar tentando... ano que vem.. estamos nessa de novo, mesmo que perca, essa era a nossa primeira olimpíadas estudantil :)

Tati disse...

Pois é, Carol, mas mesmo aquelas que não "aproveitaram" tanto aprenderam algo! Nem que seja que jogar de chiquinha não é lá muito produtivo!

mc, EU entendi!!! Iêi!!!

clau, isso me alivia, pelo menos as minhas não são as únicas, hehehe!

mô, são essas pequenas coisas que fazem meu dia a dia uma aventura!

É isso aí, Má! Retroceder nunca, render-se jamais!!!!