quarta-feira, agosto 29, 2007

O Ponto G

Sei que falamos de sexo no post anterior, mas desta vez o ponto G a que me refiro não tem nada com o ponto dos ais e uis... Tem, sim, com aquele ponto G que dizem que a mulher Grávida alcança, se achando liiiiiinda, maravilhoooooosa, iluminaaaaada... Dona do mundo...

Não cheguei lá ainda. Estou é me achando dona da geladeira, isso sim.

Sei que esse dia chegará, que me olharei no espelho com aquela barriga redonda e lustrosa e saberei que ali tem uma criança linda pronta para sair. Mas por enquanto, essa barriga não chegou. Estou vivendo, neste primeiro dia do quarto mês, um momento de transição entre barriga lisa e barriga de mãe, e tenho que dizer: é horrível!

O problema é que neste ponto, você não parece grávida. Parece que engordou uns 3 quilos e que todos os gramas foram parar ali, na parte mediana do seu corpo. Justamente aquela parte que ajusta a calça que você usa e a marca da blusa que de vez em quando sobe um pouco. Para piorar, lembrem-se que minhas alunas são adolescentes de 12 anos, prontas para acabar com sua auto-estima com um sagaz comentário:

"Pro, você já engordou!!! Mas nem parece que está grávida..."
"Nossa, você vai ficar suuuuuper barriguda!"

Já encarei a primeira crise das compras. Minhas calças não cabem mais, e precisei sair para arrumar algo apresentável em eventos sociais. Foi quando percebi o quão maléficas são as lojas de moda feminina. Maléficas SIM, elitistas e preconceituosas. Nada me cai bem, as lojas em que costumo comprar me expulsam às gargalhadas, insinuando que não faço mais parte daquele rol de magras selecionadas para as suas nobres coleções.

Naquele momento admirei e MUITO as gordinhas que se vestem bem. É preciso criatividade e excelente gosto para se virar nesse mundo de osso. Entrar numa loja assim e sair linda é trabalho mental, de ajuste de combinações, modelitos e ocasiões.

Abismo de transição é duro... É como minha tia argentina, que há anos vive no limbo. Mora há 30 anos no Brasil, e ainda tem sotaque de castelhano. E quando chega na Argentina, perguntam de onde ela é...

Enquanto isso, sucumbo à Nutella, ao mingau de Farinha Láctea e ao sorvete de Oreo, que ganharam certa liberdade de entrada na minha casa....

Capicce?

Inté!!

7 comentários:

Carol Piovesana disse...

Imagina... Você tá linda! É linda!
Acho que é normal essa fase de engorda... Como diziam minhas tias para minha irmã: "você tem que se alimentar por dois!" rsrsrsrs
Um beijo!
Se cuida!

Anônimo disse...

Tati,
Já disse isso antes e vou repetir: VC ESTÁ LINDAAAA e sua barriga parece SIM de grávida!!!!! rsrsrsrsrs...
Beijos
Carol Escandura

Nana disse...

Aproveita! Minha irmã engordou horrores na gravidez, mas depois que teve a minha sobrinha ficou mais magrela do que era antes. Tudo de bom!

Gastón disse...

Tati, eu ainda devo ter uma calça do tempo em que eu era gorducho. quer?

Gatta disse...

Criança é foda. Já falei pra minha mãe não se olhar no espelho, pq seu corte de cabelo estava horrível. Mas esse não é o seu caso, Tati. Não te conheço pessoalmente, mas acredito nos comments acima!!!

bjss

Rubina disse...

Ai se Capicce Tati...E eu que pertenco ao rol das redondinhas e tento estar na moda tenho mesmo dificuldade em encontrar coisas que goste, as vezes, pois parece que tudo e feito para modelos tamanho 0. Beijao

Anônimo disse...

Ponto G: Grávida + Geladeira + Gula + Gororobas = tamanho GG (!).
Aproveite sua nobre desculpa pra comer por dois..., ela tem prazo pra acabar.
Taubrós!?