terça-feira, dezembro 11, 2007

Noção de Vícios

Achei interessante ler hoje, numa dessas colunas de fofocas na internet, a seguinte frase de Glória Maria, apresentadora da Tv Globo:

"- Não bebo há 12 anos, não fumo há 20 e não uso drogas há 18. Todo mundo fazia e eu achava que era chique – contou à publicação.

Segundo a apresentadora, os remédios naturais compõem seu único vício atual.

- Chego a tomar até mil cápsulas por semana e uma vez ao ano faço jejum de 10 dias só de chá, revelou.
"

"Não uso drogas há 18 anos", mas ingere mil cápsulas por semana, não me interessa se são naturais, sintéticas, ou de caldeirão de bruxa, o simples fato de ela depender de 1000 cápsulas mostra a dimensão de seu vício.

Vício é vício, independente se é de cocaína, álcool, adrenalina ou pílulas naturais. É algo que toma conta de sua rotina e domina seus pensamentos a ponto de ditar as diretrizes de sua vida. Isso ficou muito claro para mim, ao ler o livro de Amós Oz, fabuloso escritor israelense, chamado Contra o Fanatismo. Você compra o livro seguro de que vai aprender mais sobre os conflitos palestinos e judaicos, e se depara com a idéia de que até os vegetarianos que tentam converter dono de açougue são tão fanáticos quanto os homem bomba da área dele... Fanatismo é um estado de espírito, independente da ética da matéria.
Geração saúde demais, a ponto de olhar feio e dar palestra no boteco para quem come uma fritura?
Fanático!



Acredito que o mesmo acontece com o vício!
Vício é algo profundamente interligado ao fanatismo, seja o fanatismo por uma substância ou pela sensação que ela proporciona.

A única grande vantagem da Glória Maria? Poder levar sua droga, em sua linda necessaire provavelmente da Louis Vitton, embalada em vidros e legalizadas, para onde quer que vá...
E todo mundo, como ela há 18 anos, achando chique...

Me poupe!

Inté!!

7 comentários:

Carol Piovesana disse...

Tem horas que é melhor ficar quieta, neh "Glorinha"?!... rsrsrsr

Beijos minha linda!

"a" MH disse...

Nossa, vou procurar esse livro... tenho posições quase fanáticas contra o fanatismo... rs

E a Gloria Maria é doida e mal-resolvida, ninguém sabe quantos anos tem, toma tudo isso de remedinhos, e é chata de galocha. Quando era correspondente internacional ainda tinha coisas interessantes pra dizer, mas hoje...

beijo!

Capitão-Mor disse...

Eh,eh,eh! Seu texto está delicioso. Por acaso tenho de ver se consigo me livrar dos excessos de nicotina...

Cláudia disse...

Gloria Maria, como diria um amigo meu, já prescreveu.
Adorei a dica do livro, vou comprar pra ler!

Um dia fiz um jantarzinho corporativo aqui em casa, no papel de então esposa, para dono da empresa e diretor comercial do trabalho do então marido, com suas respectivas.
Uma delas era um fiapo de magra, e acredita que ela disse que não ia comer bacalhau porque engordava muito e muito menos tocar na sobremesa porque nem podia imaginar quantas calorias tinha ali?
Minha resposta: incontáveis.
Ela deve ter pensado: por isso que você é uma baleia. E não tomou vinho pelo mesmo motivo e passou a noite inteira com a alface de acompanhamento no estômago e água. Ponto. Chata.
beijo

Evandro disse...

Certa feita, um contumaz amante da “Geração Saúde” e da abstinência total e do relaxamento absoluto, no auge de seus 38 anos, vai a um médico para um “check up” e conta: “Doutor, nunca fumei, nunca bebi, nunca fiz sexo, nunca tomei drogas, nunca me estressei, nunca briguei, não torço pra time nenhum, só como tomates e leio apenas livros com caracteres adequados para minha visão”. O médico, tão incrédulo quanto espantando, responde “Hum...”. O paciente pergunta, afobado, “estou bem, Doutor?... Será que eu vou viver pelo menos uns 40 anos mais?”... Vem o médico, que durante o período de faculdade fumou, bebeu, fez muito sexo, tomou muitas drogas, se estressou, brigou, torceu (e ainda torce) para o requentado “Verdão” (atualmente, “Amarelão”, não só pela cor da camisa mas como pelas últimas apresentações que incomodam tanto o médico) e, olhando fixamente para o paciente, diagnostica: “Meu caro, você não está bem, você está ÓTIMO!... Mas eu tenho uma dúvida – com a vida que você leva, queres mais 40 anos PRA QUE?”

Tati disse...

carol, eu que o diga, não? Hoje mesmo perdi uma boa chance de ficar quieta, né?... Mas não aguentei, não ia terminar o ano sem aquela.... Estou até mais leve...


a mh, adorei o "fanatismo contra fanatismo"!!! Tb sou assim, e tenho um medo fanático de ficar em cima do muro...

capitão, troque o excesso de nicotina pelo excesso de escrita... Nós leitores agradecemos!!!

Clau, acho que o comentário do evandro responde o seu... Que vidinha chata dela, não? Vai sere enterrada numa horta, pra se esbaldar....

Evandro, do jeito que o Geração Saúde não tinha emoções na vida dele, poderia facilmente torcer pro SP, afinal, ganhar sempre não faz o coração bater forte!!!

Beijos!!

Evandro disse...

Tati, tudo depende de como se ganha... Perder demais também faz a cardiometria ficar estável... Eu diria que o "Mr. Geração" torce para, sei lá, talvez a Lusinha...