segunda-feira, fevereiro 26, 2007

Humor Negro

Este fim de semana fiz algo que há muito tempo não fazia. Fui ver o mesmo filme duas vezes no cinema.
Nada intelectual...
Nada cult...
Nada, mas naaada politicamente correto...

Fui ver "Borat"!

Mas por que trazê-lo da tela do cinema pra tópico de post?

Por causa da platéia...

Muitos ainda não assistiram, mas todos já sabem que o judeu Sacha Cohen faz o papel de um jornalista cazaqui que viaja pelos "U S and A" para ver os costumes do povo norte americano. Ele acaba desvendando, através da comédia dura e ácida, a grande hipocrisia que impera na terra do Tio Sam. Piadas de mulher, gays, cristãos e principalmente judeus dominam o filme. Tem que ter estômago...

E pouco pudor!
Pudor pra rir, digo...

Assisti em dois shoppings diferentes, em duas cidades diferentes.

Na sexta à tarde, sessão das 14hs 30, no Morumbi. Casais de velhinhos por toda a vazia platéia. Eu e minha irmã...

Nas primeiras cenas você já saca qual o perfil do grupo. Ninguém ri... Mas olho os rostos ilumiados pela tela e alguns esboçam um leve sorriso...

"Mas que vergonha, rir disso... O que vão achar de mim?... Vão me acusar de anti semitismo??? De preconceituoso? de machista????"

Aí parece que começa a cair a ficha nas pessoas, "se o próprio ator é judeu e ri de si mesmo, acho que não pega tããão mal assim rir.... Ou pega?"

E começam, aos poucos, a entender o movimento do filme. A crítica, o desvelo da falsidade ideológica. Mas ainda assim, alguns resistem. Um senhor sai no meio, naturalmente ofendido.

Luzes acesas, olho em volta pra ver se fui a única herege e rir... Ufa, não... Mas todos se olham, para achar seus cúmplices...

Domingo, sessão das 15 hs 30, Iguatemi, Campinas. Eu e Sr. Jeca. Sala cheia. Jovens dominam a sala.
Vergonha???
Todos riem descaradamente, sem se preocupar em afirmar seu humor negro com os vizinhos.
Riso despreocupado, ácido como o filme.

Eu rio menos, a segunda vez é sempre menos surpreedente, mas ainda me pego com dor de barriga em algumas cenas. Dor de barriga de tanto rir...

Saio pensando em como um filme, assim como livros e pinturas, atinge pessoas de maneiras tão diferentes.

E também, que somos resultado cabal do politicamente correto e ver alguém quebrar este comportamento causa profundo embaraço, ainda que seja como ferramenta de crítica ao lado hipócrita desta cultura.

O filme toca em feridas, e é naturalmente polêmico. Mas tendo coragem e consciência, garante boas risadas....

Inté!!


8 comentários:

Anônimo disse...

Acho q além de estômago é preciso inteligência pra sacar q atrás do grotesco Borat existe uma crítica pesada aos americanos.. e o mais engraçado é q durante o fime eles parecem nao perceber.. the joke is on them!!
"Cazaqistan, the greater of all countries, all other contries are little girls...."
Caia

Rubina disse...

Pois é Tati...E quem é que fica a ganhar, os que soltam o riso ou os que escondem o que sentem? Para mim nada como soltar, aliviar e divertir-se.

Beijocas

MH disse...

Quero muuuito ver esse filme! No Canadá toda semana eu assistia The Ali G Show, onde ele faz 3 personagens, inclusive o Borat. Fantástico...
bjo

Gastón disse...

Tô beeeeem afim de ver esse filme. Sobre essa nossa pentelhação do politicamente correto, sempre cito um exemplo clássico da nossa infância: os trapalhões. Era a coisa mais politicamente incorreta do mundo. E nós não nos tornamos bêbados, jogadores e trapaceiros... só demos risada e nos divertimos. Aliás, isso vai dar post ;0)

Mônica Montone disse...

Aqui no Rio os jornais estão falando bem desse filme, aliás, vou ver essa semana........

Quanto as platéias: não estou nem aí pra paçoca, se quero rir, caio na gargalhada, rs*

beijos, linda e boa semana

MM

Tati disse...

Caia: I like you... Do you like me???

Rubina e Mô, rir é SEMPRE o melhor remédio! E concordo, se alguém não gostar, so sorry...

Gasta, os trapalhões eram o exemplo disso, é verdade... e o pica pau, então?...

beijos

Anônimo disse...

A primeira coisa que pensei: Eu vou matar a Tati! E ela ainda diz que vai assistir de novo!?!?! rs...
Mas depois que vc já esta lá dentro, o melhor é relaxar...e se matar de dar risada...rs
Beijos
Carol Escandura

Tati disse...

mas vai dizer que não é de dar muita risada???
beijo